quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Meu Jardim

Tô relendo minha lida, minha alma, meus amores
Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores
Refazendo minhas forças, minhas fontes, meus favores
Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores
Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho
Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho

Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho
Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho
Estou podando meu jardim
Estou cuidando bem de mim

Vander Lee


- Ao menos uma coisa correta diante de tanta loucura não é Gata?
 
Isso foi um elogio?
 
- Digamos que sim.

Só mais uma coisa: tudo isso está acontecendo dentro do meu tempo ok? Não me force a nada.

- Nem pensei nisso. Muito bom te ver re-florescer.

É sempre bom ver a primavera chegar em mim Wal. Adoro o aroma...

5 comentários:

Tiburciana disse...

Muito bem Layla primeiro vc depois o resto do mundo.
Faça e refaça quantas vezes VC achar necessario.
Sei que isso pode parecer cliche mas a vida é tua e vc sabe das suas dores dos seus sabores e desamores bj

Marcia Gullo disse...

Lindo, lindo esse Poema(?), eu nunca sei a diferença de poema, prosa, poesia.... enfim, mas é lindo demais, obrigada por compartilhar...
um beijo querida,

Marcia Gullo

disse...

Cheguei aqui através do blog Mulher na Polícia e tinha que fazer um comentário - adoro Vander Lee!
Ele tem tantas letras lindas, tanta coisa boa!!
Minas sabe fazer bons músicos!!
(:

Mulher na Polícia disse...

Oi Layla...

Um momento muito especial, portanto. A gente acompanha isso daqui.

Parece que o Walter lida super bem com a culpa, né, amiga. Eu me acabo.
: )

Beijos!

José María Souza Costa disse...

Muito interessante, o seu blog.Gostei demais.estou lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles. Estarei grato esperando vc, lá.
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com